O que é a Artrose de Joelho?

A artrose de joelho é uma condição de degenerativa e inflamatória do joelho, que se inicia pela perda e enfraquecimento da cartilagem.

 

A cartilagem é um o tecido que recobre o osso dentro da articulação. Ela faz com que a superfícies dos ossos possam deslizar com facilidade durante os movimentos.

 

Essa perda e enfraquecimento da cartilagem leva a outras alterações na articulação, tais como:

. diminuição do espaço articular

. espessamento do osso

. formação de osteófitos ("bicos de papagaio")

. inflamação articular (sinovite)

 

 

 

Vamos falar de cada um deles a seguir.

 

Diminuição do Espaço Articular

Toda articulação tem um espaço entre os ossos que estão nela. Na artrose, esse espaço fica reduzido. Ocorre devido à perda de cartilagem e também à degeneração dos meniscos (*).

 

Como consequência pode ocorrer aumento do atrito entre os ossos e, dessa forma, mais perda de cartilagem. Favorece também a formação de osteófitos ("bicos de papagaio").

 

(* meniscos são estruturas do joelho que ajudam no encaixe da articulação e, frequentemente, ficam enfraquecidos na artrose - são estruturas frequentemente noticiadas nas lesões de jogadores de futebol).

 

 

 

 

Espessamento do Osso

O maior atrito que ocorre entre os ossos da articulação leva ao espessamento desses ossos. Isso é observado, especialmente, nas radiografias, onde se pode ver uma área mais esbranquiçada na imagem.

 

Formação de Osteófitos ("Bicos de Papagaio")

Os "bicos de papagaio" são formados não apenas pelo maior atrito nos ossos, mas também devido ao afrouxamento dos ligamentos ao redor do joelho. Com a diminuição do espaço articular, esses ligamentos ficam frouxos, sem tensão, e passa a ocorrer uma instabilidade maior na articulação. Essa instabilidade leva ao stress desses ligamentos num sentido diferente ao usual e isso, combinado com o atrito nos ossos, leva aos "bicos e papagaio".

 

 

Inflamação Articular (Sinovite)

A degradação da cartilagem libera fragmentos dessa no espaço da articulação. Esses fragmentos podem entrar em contato com a membrana que envolve a articulação e, quando isso ocorre, se inicia um processo inflamatório, chamado de Sinovite. Com isso, o joelho incha e sua temperatura aumenta. Além disso, essa inflamação favorece a degeneração da cartilagem também. 

 

 

 

Outro aspecto a ser considerado: a Formação de Ciclos Viciosos

A perda de cartilagem leva à diminuição do espaço da articulação que, em última instância, leva ao maior atrito entre os ossos e, consequentemente, mais perda de cartilagem.

 

A perda de cartilagem leva à inflamação a qual também favorece a perda de cartilagem.

 

Dessa forma, se estabelecem dois ciclos viciosos que, em última instância, contribuem para o agravamento da artrose no joelho.

 

 

 

Artrose Tibiofemoral e Artrose Patelofemoral

Em geral, quando falamos de artrose de joelho, é mais comum estarmos nos referindo à articulação tíbiofemoral (entre a tíbia e o fêmur - osso da perna e da coxa, respectivamente). Mas uma outra articulação também é parte do joelho: a articulação da patela (o pequeno osso que temos à frente do joelho) e o fêmur.

 

Ambas as articulações podem desenvolver artrose.

 

 

 

Sintomas

Os sintomas principais da artrose no joelho são:

. dor no joelho, geralmente sentida na dobradiça do joelho ou dentro do joelho

. dificuldade de dobrar ou esticar totalmente o joelho - muitas vezes fica difícil pois dói ao tentar

. isso limita outras atividades do dia a dia, como agachar, subir ou descer escadas, caminhar rápido ou correr, dentre outras

. deformidade em valgo ou varo do joelho (ver imagem)

. dor noturna (durante a noite, ao se deitar)

. rigidez articular (sentida pela manhã, após acordar, podendo aparecer também ao final da tarde, início da noite)

. rangidos, estalos e barulhos no joelho

 

 

 

Diagnóstico

O diagnóstico é feito associando se os sintomas com as alterações presentes nos exames de imagem, especialmente na radiografia (raio-x).

 

A avaliação da gravidade da Artrose de Joelho é feita pela radiografia. Para isso, usa-se a  escala KELLGREN-LAWRENCE. Nela se verificam as seguintes alterações da articulação:

. afilamento da cartilagem

. espessamento do osso

. alteração do formato do osso

. presença de osteófitos ("bicos de papagaio")

. outras (presença de ossículos, alteração do osso subcondral, etc)

 

 

 

 

Com base nessas alterações, a artrose é classificada em 5 graus distintos:

(0) nenhuma

(1) questionável

(2) mínima

(3) moderada

(4) severa

 

 

 

Fatores de Risco

Fatores de risco são tudo aquilo que favorece o desenvolvimento da artrose no joelho. Os principais são:

. genética (pessoas com histórico familiar estão sob maior risco)

. excesso de peso ou obesidade (tanto devido à sobrecarga mecânica, quanto devido a alterações do metabolismo)

. sexo feminino

. lesões prévias no joelho (lesões ligamentares ou meniscais, por exemplo)

. idade (quanto mais idade, maior o risco de desenvolver artrose)

. sobrecarga excessiva (como a prática de certos esportes, especialmente se for em nível competitivo ou de elite - futebol, wrestling, levantamento de peso, dentre outros)

. fraqueza da musculatura anterior do joelho (quadríceps)

 

 

 

Prevenção

Para prevenir o surgimento da artrose no joelho devemos evitar ou minimizar os fatores de risco. Não temos como modificar a genética e não há como evitar o envelhecimento. Por outro lado, a prática de esportes de forma intensa é uma opção pessoal ou mesmo profissional. Dessa forma, podemos:

. evitar a obesidade ou emagrecer caso se esteja acima do peso ou obeso;

. prevenir lesões de joelho - seja em atletas ou não atletas; e

. manter a musculatura anterior do joelho (e de todo membro inferior) fortalecida.

 

 

 

 

Tratamento para Artrose no Joelho

O tratamento é feito com uma Fisioterapia Especializada em Artrose de Joelho.

 

Nosso método é exclusivo e desenvolvido para dar o maior benefício possível a você e a todos que tem artrose no joelho.

 

Com ele é possível uma melhora da das dores de 75% em apenas 8 semanas de tratamento (*)!

 

E tem mais benefícios a serem alcançados:

. recupere a força muscular

. volte a fazer as atividades físicas que você gosta

. volte a se sentir bem com seu joelho

. evite a cirurgia

 

 

 

(*) resultados obtidos em pesquisa com artrose que envolveu pessoas com artrose nível 2 e 3 pela Escala Kellgren-Lawrence, idade aproximada de 55 anos sem sinais evidentes de inflamação nos joelhos: Gür H, Cakin N, Akova B, Okay E, Küçükoğlu S. Concentric versus combined concentric-eccentric isokinetic training: effects on functional capacity and symptoms in patients with osteoarthrosis of the knee. Arch Phys Med Rehabil. 2002 Mar;83(3):308–16

 

 

 

Porque conseguimos esse tipo de resultado?

É um programa cientificamente embasado, estruturado para que você obtenha a melhor recuperação possível. É totalmente individualizado e personalizado e tem o objetivo de tratar a causa de seu problema, não apenas os sintomas.

 

 

 

Como é feito o tratamento?

Tudo se inicia pela avaliação.

 

É um detalhado processo, no qual analisamos diversos aspectos. Sua postura, sua dor, seu movimento, a articulação e as estruturas do joelho, outras articulações (como quadril e tornozelo), a força muscular (avaliamos músculo a músculo), a flexibilidade, as restrições de movimento e muito mais.

 

Utilizamos, também, a filmagem com aplicativo específico para lhe mostrar os movimentos que, eventualmente, precisam ser corrigidos pois estão gerando sobrecarga e dor. Movimentos do dia a dia, como agachar, caminhar, descer escadas e outros são filmados para avaliarmos detalhadamente. No caso de atletas, o gesto esportivo é filmado também.

 

 

Com base nessa avaliação nosso objetivo é identificarmos aquilo que está causando as dores e sintomas.

 

 

 

Quais são as causas?

 

Diversas são as possíveis causas. Alguns exemplos:

 

. Fraqueza Muscular: músculos fracos não dão sustentação ou estabilidade ao joelho, e podem também indicar uma falta de força das estruturas do joelho.

 

.Inflamação (Sinovite): nestes casos, via de regra, é observado inchaço (edema) do joelho, assim como aumento da temperatura.

 

.Restrição dos Deslizamentos Articulares: muitas vezes os sintomas se originam de restrição dos pequenos deslizamentos articulares que existem nos movimentos do joelho. Quando esta é a causa, usamos técnicas manuais específicas que reestabelecem o movimento. Quando esta é a única causa, os sintomas podem ser resolvidos em apenas 1 ou 2 sessões.

 

.Alteração Biomecânica: são os erros de movimento. Um exemplo é quando o valgo do joelho ("queda pra dentro") está causando as dores. Nestes casos, temos de reestabelecer o movimento adequado através de correção do movimento e fortalecimento.

 

.Limitações de outras articulações: limitações dos movimentos no tornozelo ou quadril podem se refletir no joelho. Se necessário, é importante cuidar dessas outras articulações também.

 

.Obesidade ou Excesso de Peso: diminuir o peso pode ser importante. Nesses casos, lhe encaminharemos para profissionais competentes, conhecedores da Artrose e especializados no assunto.

 

 

 

 

Técnicas e Métodos Utilizados

Alguns exemplos das técnicas e métodos que utilizamos.

 

 

Exercícios

Recrutamento Muscular: exercícios simples para acordar e fazer o fortalecimento inicial da musculatura em quem tem fraqueza ou dificuldade e contração.

Fortalecimento Muscular: fortalecimento com elástico, tornozeleiras ou exercícios com o peso do corpo. Auxilia na estabilidade articular e é importante na diminuição da dor

Treinamento Resistido: para aqueles que já recuperaram a força muscular normal passamos a utilizar treino em aparelhos para aprimorar ainda mais a força e a estabilidade articular.

 

 

Eletrotermofototerapia - Inflamação e Edema

Laser Terapia: Utilizamos Laser de última geração (XT Therapy da DMC, com 100mW de potência) para analgesia e tratamento antiinflamatório.

Ultra-Som: também utilizado para analgesia e como antiinflamatório, temos o modelo Carci de 1MHz com modo Pulsado e Contínuo.

Eletroestimulação: auxilia no fortalecimento muscular e na analgesia, usamos o modelo HTM portátil para maior facilidade.

 

 

Técnicas Manuais

Técnicas manuais oscilatórias: para relaxar a musculatura e corrigir a restrição dos deslizamentos articulares - quando indicados, o alívio da dor é imediato!

Técnicas de mobilizações com movimento: para a correção dentro do padrão de movimento e correção da restrição dos deslizamentos articulares - quando indicados, o alívio da dor é imediato!

 

 

 

tratamento com técnica de mobilização com movimento

 

 

 

Correção Biomecânica

A correção biomecânica, muitas vezes, vai depender de uma força muscular mínima. Portanto, o fortalecimento pode ter de ser feito antes.

Feedback Sensorial: com uso de espelho e filmagem, pode se perceber os erros do movimento e corrigí-los melhor. O feeback é fornecido antes e durante a realização do movimento que precisa ser corrigido.

FNP: técnica desenvolvida para aprimorar o recrutamento muscular e facilitar a correção do movimento. Nesta técnica, o Fisioterapeuta usa o contato manual para tornar a resposta dos músculos mais rápida e efetiva. Dessa forma, o movimento é corrigido de forma mais efetiva. Trabalhamos, frequentemente, na posição na qual o movimento está sendo realizado para a correção ser ainda mais rápida e efetiva.

 

 

 

 

Queremos te ajudar a superar as dores da Artrose de Joelho. Temos conhecimento, experiência e um método de tratamento exclusivo para ajudá-lo. Não perca mais tempo!

 

 

 

 

Venha fazer seu tratamento conosco!

Entre em contato pelo telefone/whatsapp (11) 9-6587-6510 e comece a recuperação de seu joelho já!

CLIQUE AQUI PARA SABER MAIS

 

 

 

 

 

 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

AddThis Social Bookmark Button

 

 

Google+

DMCA.com

Todos direitos reservados a OPTIMA FISIOTERAPIA | 2010 Desenvolvido por: Guara